domingo, 2 de novembro de 2008

Como elaborar um Projeto Interdisciplinar de Leitura

Apesar de o currículo dos cursos contemplarem um leque de disciplinas de outras áreas (multidisciplinaridade), muitas vezes como disciplinas optativas, a estrutura disciplinar impede que os respectivos docentes se articulem e articulem seus conhecimentos.





A transdisciplinaridade é a busca do sentido da vida através de relações entre os diversos saberes (ciências exatas, humanas e artes) numa democracia cognitiva. É uma busca do conhecimento globalizante, rompendo com as fronteiras das disciplinas. Integrar conhecimentos apenas não é suficiente, é necessária uma postura e atitudes interdisciplinares. Atitudes de busca, envolvimento, compromisso, reciprocidade diante do conhecimento. Nos projetos educacionais a interdisciplinaridade se baseia em alguns princípios, entre eles: 
1o- Na noção de tempo: o aluno não tem tempo certo para aprender. Não existe data marcada para aprender. Ele aprende a toda hora e não apenas na sala de aula. 
 2º- Na crença de que é o indivíduo que aprende. Então, é preciso ensinar a aprender, a estudar etc. ao indivíduo e não a um coletivo amorfo. Portanto, uma relação direta e pessoal com a aquisição do saber. 
3º- Embora apreendido individualmente, o conhecimento é uma totalidade. O todo é formado pelas partes, mas não é apenas a soma das partes. É maior que as partes. 
 4º- A criança, o jovem e o adulto aprendem quando têm um projeto de vida e o conteúdo do ensino é significativo para eles no interior desse projeto. Aprendemos quando nos envolvemos com emoção e razão no processo de reprodução e criação do conhecimento. 
A biografia do aluno é, portanto, a base do seu projeto de vida e de aquisição do conhecimento e de atitudes novas. A metodologia do trabalho interdisciplinar implica em: 
 1º- integração de conteúdos; 
 2º- passar de uma concepção fragmentária para uma concepção unitária do conhecimento; 
 3º- superar a dicotomia entre ensino e pesquisa, considerando o estudo e a pesquisa, a partir da contribuição das diversas ciências; 
 4º- ensino-aprendizagem centrado numa visão de que aprendemos ao longo de toda a vida. A ação pedagógica através da interdisciplinaridade aponta para a construção de uma escola participativa e decisiva na formação do sujeito social. A visão transdisciplinar é completamente aberta, pois, ela ultrapassa o domínio das ciências exatas pelo seu diálogo e sua reconciliação não somente com as ciências humanas, mas também com a arte, a literatura, a poesia e a experiência interior. 
 Quando falamos em interdisciplinaridade, estamos de algum modo nos referindo a uma espécie de interação entre as disciplinas ou áreas do saber. Todavia, essa interação pode acontecer em níveis de complexidade diferentes. E é justamente para distinguir tais níveis que termos como multidisciplinaridade, pluridisciplinaridade, interdisciplinaridade e transdisciplinaridade foram criados. Segundo os PCN, A interdisciplinaridade supõe um eixo integrador, que pode ser o objeto de conhecimento, um projeto de investigação, um plano de intervenção. Nesse sentido, ela deve partir da necessidade sentida pelas escolas, professores e alunos de explicar, compreender, intervir, mudar, prever, algo que desafia uma disciplina isolada e atrai a atenção de mais de um olhar, talvez vários (BRASIL, 2002, p. 88-89, grifo do autor). 
A prática da interdisciplinaridade possui uma linha de trabalho integradora que pode agregar um objeto de conhecimento, um projeto de investigação, um plano de intervenção. Quando problematizamos uma situação, o problema causador do projeto, pode ser uma experiência, um desencadeamento de ação para interferir na realidade. Devemos nos conscientizar que o projeto é interdisciplinar em sua compreensão, cumprimento e avaliação. 
 A interdisciplinaridade envolve a contextualização do conhecimento, que mantém uma relação fundamental entre o sujeito que aprende e o componente a ser aprendido, evocando fatos da vida pessoal, social e cultural, principalmente o trabalho e a cidadania. 
Quando os alunos participam da tomada de decisão a respeito de um tema ou de um projeto, é possível que constituam relações entre os novos conteúdos e os conhecimentos que já possuem, conseguindo aprendizagens mais significativas, comparando, criticando, sugerindo ajustes, novas relações e organizações, abrindo portas para a interferência em uma realidade, desencadeamento novas ações e, construindo um compromisso com uma cidadania ativa. 
A melhor maneira de fazer com que isso aconteça é através da interdisciplinaridade, que deve ir além da simples justaposição de disciplinas, ao interagimos em busca de objetivos comuns. Devemos através do trabalho pedagógico arrolar as disciplinas em atividades ou projetos de estudo, projetos de pesquisa e ação. 
A interdisciplinaridade poderá ser uma prática pedagógica e didática eficaz ao cultivarmos um diálogo constante de questionamento, de aprovação, de indeferimento, de acréscimo, e de transparência de percalços não apontados. 
Na interdisciplinaridade os alunos aprendem a visão do mesmo objeto sob prismas distintos, daí podermos utilizar a contação de histórias como um gerador de projetos interdisciplinares. Pois a história, sempre carrega vários conteúdos e conhecimentos, que podem ser explorados pelo professor ou por vários professores na escola. A intertextualidade é “um fenômeno constitutivo da produção do sentido e pode-se dar entre textos expressos por diferentes linguagens” (Silva, 2002). 
O professor deve, então, investir na idéia de que todo texto é o resultado de outros textos. Isso significa dizer que não são “puros”, pois a palavra é dialógica. Quando se diz algo num texto, é dito em resposta a outro algo que já foi dito em outros textos. 
Dessa forma, um texto é sempre oriundo de outros textos orais ou escritos. Por isso, é imprescindível que o professor leve o aluno a perceber isso. Assim, a utilização da intertextualidade deve servir para o professor não só conscientizar os alunos quanto à existência desse recurso como também utilizar um modo mais criativo de verificar a capacidade dos alunos de relacionarem textos. A intertextualidade ocorre em diversas áreas do conhecimento. 
À exemplo na literatura: Casimiro de Abreu “Meus oito anos” e Oswald de Andrade “Meus oito anos”. Aquele foi escrito no século XIX e este foi escrito no século XX. Portanto, o 2 texto cita o 1, estabelecendo com ele uma relação intertextual. 
 Meus oito anos Oh! 
Que saudade que tenho 
 Da aurora da minha vida, 
Da minha infância querida 
 Que os anos não trazem mais 
 Que amor, que sonhos, que flores 
 Naquelas tardes fagueiras 
 À sombra das bananeiras 
 Debaixo dos laranjas! 
 
Casimiro de Abreu 


 Meus oito anos Oh! 
Que saudade que tenho 
 Da aurora da minha vida, 
 Da minha infância querida 
 Que os anos não trazem mais 
Naquele quintal de terra 
 Da rua São Antônio 
 Debaixo da bananeira 
 Sem nenhum laranjais! 

 Oswald Andrade 

Para a elaboração de um projeto interdisciplinar de leitura, sugerimos: 
Elaboração de Projeto Interdisciplinar de Leitura 
1. Escolha da obra ou tema a ser abordado no livro literário escolhido. 
2. Elaboração do projeto em equipe. 
3. Estudo da obra, para destacar os elementos chaves que serão desenvolvidos ao longo da realização do projeto. 
4. Divisão de tarefas entre os docentes. 
5. Escrita e revisão do projeto. 
6. Apresentação do projeto ao corpo discente da escola (turmas envolvidas). 

 O Projeto deve ter os seguintes tópicos: 
I. Título do Projeto 
II. Objetivos ( no máximo 5) 
III. Conteúdo (especificar o conteúdo de acordo com os seguintes tópicos voltados para a obra, já que é um projeto interdisciplinar de leitura) 
1- Leitura (tipo de Texto que vai ser explorado) 
2- Competências Lingüísticas (o que poderá ser explorado de Linguagem – conhecimento gramatical) 
3- Produção de Textos (que trabalho será desenvolvido como produção textual a partir da obra) 
4-Temas Transversais (quais temas transversais poderão ser trabalhados) 
São eles: Orientação Sexual, Saúde, Trabalho, Consumo, Ética, Pluralidade Cultural, Meio Ambiente 
5- Interdisciplinaridade (que relação há entre este textos e outros textos) 
6- Que atividades poderão ser trabalhadas que se relacionam com outros conhecimentos: matemática, ciências, geografia, educação artística, etc. 
IV. Público Alvo Série – turmas – faixas etárias 
V. Proposta – Descrição da ação Passo-a-passo da execução do projeto (como será realizado) 
VI. Produto Final e Avaliação Que atividade será o ponto culminante do projeto e como será avaliada (que tópicos comporão a avaliação). 
VII. Proponentes Equipe elaboradora do projeto. 
Relatório Final do Projeto.

2 comentários:

Jaja disse...

Amiga....tentei contatá-la pelo orkut. Mas não foi possível.
Preciso, falar com vc. meu e-mail é
janirachaves@hotmail.com.
Sou pedagoga, e li seu projeto para contação de história, amei!!
Caso vc. me atenda, desde já, agradeço.

Antonia disse...

Oi Shirlene, sou uma apaixonada por contação de histórias, trabalho com educação infantil, amo meu trabalho e gostaria de trocar idéias com vc. Meu nome é Antonia e meu email é a.s.o.sousa@hotmail.com